Processo de instalação da televisão digital terrestre deverá ser concluído em 2019

sexta, 07 dezembro 2018 10:26

O presidente do Conselho de Administração da Cabo Verde Broadcast (CVB), Luís Ramos, informou hoje que o processo de instalação da televisão digital terrestre (TDT), em todo território nacional, deverá ser concluído no primeiro semestre de 2019.

Em entrevista à Inforpress, Luís Ramos avançou que o nível de cobertura da TDT em Cabo Verde ronda os 70 por cento (%), mas que entretanto, esse número irá aumentar de acordo com os objectivos traçados.

“Neste momento, a rede já está implementada em algumas ilhas, Santiago, Maio, São Vicente e Sal. Há outros municípios que ainda não avançamos para a cobertura, processo que já projectamos a sua conclusão para o primeiro semestre de 2019”, adiantou.

Para garantir o acesso de sinal às outras localidades, o responsável disse que está a ser feita construção de centros de transmissão, recuperação de estruturas existentes e que o próximo passo será a implementação de equipamentos que deverão ser brevemente transferidos a essas localidades.

Entretanto, apontou que alguns “constrangimentos têm dificultado” a conclusão dos trabalhos, nomeadamente a obtenção de terrenos para instalação dos centros.

“É uma situação muito complicada em Cabo Verde, porque, mesmo que sejam pequenos lotes, se encontram em zonas bastante remotas, difícil acesso e, inúmeras vezes, torna-se complicado identificar os proprietários”, assumiu.

Porém, com o objectivo de resolver grande parte dos problemas historicamente existente no país, a CVB “vai melhorar a cobertura do sinal” em zonas que nunca tiveram acesso e outros com acesso deficiente, assim como a qualidade de serviço.

Acrescentou ainda que um dos desafios é a “difusão dos conteúdos” para a diáspora, através de uma plataforma online, onde poderão acompanhar os acontecimentos do país à distância e com qualidade.

Por outro lado, apontou que a intenção é de afirmar a CVB como uma empresa única de transporte e difusão de conteúdos de operadores de sinal aberto, para permitir que esses operadores se afirmem também no mercado e melhorem sua performance na entrega e distribuição dos conteúdos.

“Outra possibilidade é de ainda servir de berço ou de incubadora de potenciais novos operadores que possam surgir no mercado nacional”, sustentou.

A entrada da televisão digital terrestre, conforme referiu, trás vantagens “significativas em termos técnicos”, permitindo melhor
qualidade de imagem e som, possibilidade de recepção portátil e móvel de sinais de TV e o acesso a um maior número de canais televisivos.

“Além disso, com menos transmissores colocados no país, deverá ter um impacto paisagístico na redução de poluição ambiental”, sustentou.

Cabo Verde Broadcast é uma empresa pública com um capital social de 1,2 milhões de contos, numa primeira fase e que vai dedicar à consolidação da TDT. A empresa, que posteriormente poderá ser aberta a capital privado, terá competência para fazer a distribuição e gestão de redes de sinais a nível do país.

 

Fonte: inforpress

© Copyright 2016, Núcleo Operacional da Sociedade de informação - E.P.E. Todos os direitos reservados. | design & concepção: NOSi.