Google vai contratar mais de 10 mil funcionários para moderar vídeos do YouTube

quarta, 06 dezembro 2017 11:31

O YouTube está passando por uma "limpeza" em sua plataforma depois de determinar que não vai mais permitir que vídeos com discurso de ódio sejam publicados ou permaneçam online. Susan Wojcicki, chefe da divisão do Youtube, explicou que a empresa está atualmente usando algorítimos para filtrar conteúdos inapropriados para crianças ou que possam influenciar negativamente os espectadores.

Mas os algorítimos não conseguem determinar sozinhos o que permanece no site e o que deve ser excluído. Por essa razão, a Google anunciou que ao menos 10 mil pessoas serão destinadas a analisar conteúdos que possam violar a política do YouTube para ajudar o trabalho dos algorítimos. 

 
O YouTube declarou que o machine learning de seus algorítimos é capaz de detectar 70% dos conteúdos que contém violência e discursos extremistas em até 8 horas após sua publicação. Ao programar esses algoritmos para fazer o mesmo com outros tipos de vídeos, como os que chegam ao público infantil, a plataforma poderá demorar muito mais do que oito horas. 

Além da ajuda de funcionários para monitorar os conteúdos, a empresa também promete ser mais transparente. A partir de 2018 o YouTube irá publicar relatórios sobre o status e manutenção da plataforma. 

© Copyright 2016, Núcleo Operacional da Sociedade de informação - E.P.E. Todos os direitos reservados. | design & concepção: NOSi.